Literatura no cinema

Dia 23 de abril é comemorado o Dia Internacional do Livro. Mas numa geração cada vez mais conectada, será que alguém ainda tem o hábito de ler obras impressas? Se você é do grupo que tem certeza, essa matéria é para você. Se você acha que não, também serve.

Até porque, pelo que vemos por aí os sucessos de bilheteria, atraem cada vez mais jovens às livrarias de todo o mundo. E isso nos faz acreditar que sim, o pessoal ainda lê. Pelo menos é isso que indica a listinha que fizemos com o sucessos de vendas e bilheterias.

1º Crepúsculo de Stephenie Meyer

2º Diário de Princesa de Meg Cabot

3º Comer Rezar Amar

4º Sherlock Holmes

5º Julie & Julia

6º O caçador de pipas

7º Harry Potter

8º Ps. Eu te amo

9º Senhor dos Anéis

10º Entrevista com o Vampiro


Anúncios

Parnasianismo no Brasil

No Brasil, o parnasianismo chegou na segunda metade do século XIX e teve força até o movimento modernista (Semana de Arte Moderna de 1922).

Os principais representantes do parnasianismo brasileiro foram:

Alberto de Oliveira. Obras principais: Meridionais (1884), Versos e Rimas (1895), Poesias (1900), Céu, Terra e Mar (1914), O Culto da Forma na Poesia Brasileira (1916).

Raimundo Correia. Obras principais: Primeiros Sonhos (1879), Sinfonias(1883), Versos e Versões(1887), Aleluias(1891), Poesias(1898).

Olavo Bilac. Obras principais: Poesias (1888), Crônicas e novelas (1894), Crítica e fantasia (1904), Conferências literárias (1906), Dicionário de rimas (1913), Tratado de versificação (1910), Ironia e piedade, crônicas (1916), Tarde (1919).

Francisca Júlia. Obras principais: Mármores (1895), Livro da Infância (1899), Esfínges (1903), Alma Infantil (1912).

Vicente de Carvalho. Obras principais: Ardentias (1885), Relicário (1888), Rosa, rosa de amor (1902), Poemas e canções, (1908), Versos da mocidade (1909), Páginas soltas (1911), A voz dos sinos, (1916).

Postado por Amanda Comar

Para ver mais sobre Poesia Parnasiana, clique aqui.